Tratamentos de reprodução assistida para casais homoafetivos

Reprodução Assistida casais homoafetivos

Casais homoafetivos, atualmente, têm a possibilidade de terem filhos biológicos se assim quiserem através da reprodução assistida.

A escolha de qual tratamento preferir varia do casal, que deve ter um especialista em reprodução humana para acompanhar o percurso que também envolve questões de saúde. É essencial que o casal conheça todos os métodos e etapas de cada procedimento.

Para casais homoafetivos de mulheres, há duas opções de tratamento, a inseminação intrauterina e a fertilização in vitro (FIV).

Na inseminação intrauterina o que ocorre é a indução da ovulação em uma das parceiras e o sêmen do doador é injetado no útero da mulher.

Já na fertilização in vitro, é realizada a estimulação dos ovários de uma das mulheres e os óvulos coletados são fertilizados com os espermatozoides de um sêmen de doador. Os embriões formados podem ser transferidos ao útero da parceira que quiser realizar a gestação.

Para casais homoafetivos de homens há a opção de *fertilização in vitro com óvulos doados e útero de substituição. *

O processo é feito através dos óvulos de uma doadora que são fertilizados pelos espermatozoides de um dos parceiros, e os embriões que se formam no processo são transferidos ao útero de uma parente de até 4º grau. Além disso, é necessário pontuar que a doadora dos óvulos não pode ser conhecida pelo casal.

A medicina reprodutiva oferece diversas opções para ajudar casais homoafetivos que têm o sonho de terem um filho biológico. Tanto para homens, como para mulheres, é necessário ter um doador desconhecido para realizar o procedimento. Os métodos usados variam de acordo com a opção do casal, que devem sempre ser orientados por um especialista em reprodução humana. 

Dúvidas mais frequentes

As questões da fertilidade são muito comuns. 1 em cada 6-8 casais no mundo tem dificuldade de engravidar e vai precisar de ajuda de especialistas. O tempo de tentativas espontâneas deve ser balizado pela idade da mulher. Para casais cujas mulheres têm menos de 35 anos, o tempo de tentativas antes de se procurar ajuda especializada deve ser de 12 meses. Para aqueles em que a mulher tem até 39 anos, essa espera deve ser de 6 meses. Para mulheres com mais de 40 anos, a busca pelo profissional de reprodução deve ser imediata, assim que o casal decide tentar engravidar.

Os custos vão depender do caso específico do casal, de qual estratégia será indicada para ele. Sendo assim, é muito importante que o casal procure o profissional para uma avaliação adequada.

Infelizmente não. Embora técnicas, medicamentos e o ambiente do laboratório tenham melhorado a cada ano, o sucesso depende de vários fatores, sendo o principal a idade da mulher. Por isso, casais que estão tentando engravidar devem ficar atentos a esses fatores e não postergarem a busca por ajuda.

O melhor método é aquele que se adeque às indicações da mulher. Hoje temos uma variedade enorme de métodos hormonais e não hormonais com taxas de eficácia muito elevadas. É sempre muito importante que a mulher busque um profissional de sua confiança para decidir após orientações adequadas o método que lhe convém.

Endometriose é uma doença inflamatória, benigna e crônica que quando bem tratada permite à portadora uma vida com qualidade.

A menopausa é a última menstruação. Ela acontece por volta de 45 a 50 anos na mulher brasileira. O climatério é o período que compreende a fase pré menopausa (poucos anos antes da última menstruação) até o fim da vida.

 Consultório | R. Gustavo Pena, 44/402 - Horto, Belo Horizonte - MG, 31015-060
+55 31 3482-8002 | +55 31 97553-1522
Instituto Nascer | Av. Raja Gabáglia, 665 - Cidade Jardim, Belo Horizonte - MG, 30380-403 

© Copyright 2021 - Dra Laudislena Colodetti - All Rights Reserved